segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Ó mar

Ó mar que és tão bonito
com as tuas ondas ondulando
e quando o sol está perto de ti
teu brilho é tanto.
Mas essa tua beleza,
também é traiçoeira,
quanta tragédia acontece
e tu que a tudo assistes
nada te entristece.
Gosto de te apreciar
mas tenho medo de ti,
se me puderes tragar,
a minha vida terá fim.



Zinda, “Verdadeiramente” Eu e os Meus Amigos

1 comentário:

ISA disse...

Bonito poema. O mar agradece e nós leitores, também. Jinhos
Isa