sábado, 6 de setembro de 2008

Esplendor nocturno

Quedo-me perante a noite
de firmamento limpo
e de estrelas que completam a ilustração.
Esta quietude deslumbrante
convida à extroversão sentimental.
- Será esta a noite dos poetas?
A lua magna transmite a afirmação.
Mas onde estão eles, os da sumptuosa galeria?
Eu creio que nem Pessoa, nem Gedeão,
ou Alegre, ou Camões,
ou Florbela, ou Sofia,
estarão à altura desta artística consagração.
Apesar de uma fileira inefável,
nessa noite,
a lua e as estrelas,
cantam um poema incomparável.


Fernando Barão, A Sombra dos Sentimentos

Sem comentários: